23
nov
11

O caso Fabrício nos jornais de Recife

AS FORMAS COMO A PRISÃO DE FABRÍCIO FOI NOTICIADA POR ALGUNS JORNAIS

Veja as várias versões sobre a prisão de Fabrício, apoiada em diferentes fontes e divergentes quanto ao preço cobrado pelo flanelinha, o motivo de sua prisão.

JORNAL DO COMMERCIO

FLANELINHA É PRESO NO RECIFE ANTIGO

Ele é acusado de extorsão e ameaça a pessoas que estacionavam carro no local

Publicado em 23/08/2011, às 17h04

Fábio Jardelino

Um flanelinha foi preso no início da tarde desta terça-feira (23) por extorquir motoristas que tentavam estacionar o carro na Rua da Moeda, Bairro do Recife, Área Central. Fabrício Barros de Souza, de 21 anos, foi encaminhado à delegacia, também no Recife antigo, onde será autuado por extorsão.
De acordo com a polícia, o flanelinha estava ameaçando pessoas e cobrando até R$ 5 pelo “direito de estacionar”. Ele dizia aos motoristas que a área era dele e por isso podia cobrar o valor, mesmo se o motorista tivesse o carnê Zona Azul, que custa R$ 1 e é necessário para quem quer estacionar em áreas no Centro da Cidade.
Fabrício foi preso por um policial civil que estava de folga e passava pelo local quando presenciou o abuso e deu voz de prisão ao acusado. Ele será encaminhado ainda nesta terça (23) ao Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, onde ficará à disposição da Justiça. Extorsão é um crime inafiançável.
A polícia agora espera que outras pessoas que foram ameaçadas por ele, compareçam à delegacia para prestar depoimento.

Disponível em: http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/policia/noticia/2011/08/23/flanelinha-e-preso-no-recife-antigo-13802.php

DIARIO DE PERNAMBUCO

FLANELINHA PRESO POR EXTORSÃO
Recife, quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Fabrício Souza, 21, cobrou R$ 2 pela folha da Zona Azul ontem à tarde. Motorista fez denúncia na delegacia

Estacionar nas ruas do Recife é uma tarefa difícil a qualquer hora do dia. E pode se tornar caso de polícia quando o motorista sente-se intimidado ou ameaçado pelos flanelinhas que loteiam entre si lugares públicos e até mesmo pontos da Zona Azul. Nesse locais, inclusive, negociam a folha do talão com 100% de aumento do valor oficial. Ontem, na Rua da Moeda, essa situação corriqueira levou a um desfecho surpreendente: o flanelinha Fabrício Barros de Souza, 21, acabou preso. Ele foi detido em flagrante por ameaçar o policial civil Marcelo Eurico da Rocha, 55, que se recusou a pagar R$ 2 pela folha de Zona Azul.

O delito foi caracterizado como uma extorsão, crime inafiançável. Fabrício foi conduzido ao Cotel, à noite.  A prisão só ocorreu por causa da denúncia, que raramente é feita pelos motoristas, mas que a polícia considera fundamental para coibir essa prática.
O caso aconteceu por volta das 13h. Segundo a delegada Silvana Lellys, Fabrício seguiu uma prática comum no Bairro do Recife e cobrou o valor de R$ 2 por um cartão. “A vítima se recusou a pagar e o flanelinha mandou ele retirar o carro, afirmando que a área tinha dono e fazendo ameaças contra o motorista e o carro”, contou. Sentindo-se intimidado, Marcelo Eurico chamou a polícia. “Ele estava amedrontado e com medo de um possível prejuízo. O flanelinha não só o constrangeu, como ameaçou para obter vantagem em uma atividade ilícita, o que caracterizou a extorsão”, afirmou a delegada.
O flanelinha contou outra versão na delegacia. De acordo com ele, um outro flanelinha estava dirigindo o carro de Marcelo e tentou estacionar em “sua área”, dando início a uma confusão. “Ele estava colocando o carro em local proibido e eu fui conversar com ele. Foi quando o policial apareceu e começou a me insultar”, afirmou. Comerciantes dos bares próximos afirmaram que houve um bate-boca e o policial tentou levar o flanelinha para a delegacia. “Em momento algum ele chegou a cobrar. O rapaz já desceu do carro gritando”, contou um vendedor.
Na delegacia, entretanto, o suspeito não negou que cobra 100% sobre o valor do estacionamento. “Eles estabelecem valores pelas ruas, como se elas fossem lotes, chegando a registrar em cartório um acordo e pagando R$ 2 mil pela administração do ponto de estacionamento. Para os motoristas, dependendo do carro, o valor pode chegar a 1.000% da taxa inicial”, contou Silvana Lellys.

A delegada disse que esse foi o segundo flanelinha preso em menos de quatro meses por tentativa de extorsão. “As reclamações são muitas, de 10 a 20 por semana, mas os motoristas têm medo de fazer uma queixa formal”, contou. Em junho, em uma reunião com a prefeitura, ela e o delegado da Boa Vista propuseram a criação de um cadastro para flanelinhas e uma taxa de R$ 0,30 por folha.
Em nota à imprensa, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife disse não caber à empresa reprimir a ação dos flanelinhas. “Essa é uma questão de segurança pública e os motoristas que se sentirem extorquidos ou ameaçados pela abordagem dessas pessoas devem denunciar a situação às autoridades policiais competentes”. Segundo o diretor geral de Operações da Polícia Civil, Osvaldo Morais, as vítimas desse tipo de crime podem prestar queixas em qualquer delegacia. “Basta que sejam constrangidos ou extorquidos pelos flanelinhas”.

Disponível em: http://www.diariodepernambuco.com.br/2011/08/24/vidaurbana1_0.asp

PORTAL PE360GRAUS DO G1

FLANELINHA ACUSADO DE EXTORQUIR MOTORISTAS É PRESO NO BAIRRO DO RECIFE ANTIGO

Segundo a polícia, o suspeito cobrava até R$ 10 pelo bilhete da Zona Azul, enquanto o tíquete é comercializado ao preço tabelado de R$ 1 pela Prefeitura do Recife

Da Redação do pe360graus.com

Um flanelinha acusado de praticar o crime de extorsão foi preso em flagrante no Bairro do Recife, no início da tarde desta terça-feira (23). Segundo a polícia, o suspeito Fabrício Barros de Souza, de 21 anos, foi flagrado ameaçando e exigindo uma taxa em dinheiro a um motorista para estacionar na rua da Moeda.
Um policial civil que estava de folga deu voz de prisão ao acusado e o levou à Delegacia de Polícia Civil situada na avenida Rio Branco. Segundo informações da polícia, Fabrício Barros de Souza estava ameaçando as pessoas que estacionavam no local e não davam dinheiro ou aquelas que não compravam o tíquete da Zona Azul a ele. Enquanto o bilhete é comercializado ao preço tabelado de R$ 1 pela Prefeitura do Recife, o suspeito cobrava de R$ 5 a R$ 10 pelo tíquete, conforme informou a polícia.
Em depoimento, o suspeito negou as acusações, apesar de algumas pessoas terem procurado à delegacia para contar da prática. A expectativa da delegada Silvana Lellys, responsável pelo flagrante, é que, com a divulgação da prisão do acusado, outras vítimas apareçam para reconhecer o suspeito e prestar testemunho dos fatos.
Fabrício Barros de Souza foi autuado em flagrante pelo crime de extorsão e será conduzido ao Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife.

Disponível em: http://pe360graus.globo.com/noticias/policia/prisao/2011/08/23/NWS,537856,8,233,NOTICIAS,766-FLANELINHA-ACUSADO-EXTORQUIR-MOTORISTAS-PRESO-BAIRRO-RECIFE.aspx



Anúncios

0 Responses to “O caso Fabrício nos jornais de Recife”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: